terça-feira, 30 de setembro de 2008

O divórcio.

Ontem vi um bocado do programa “Prós e contras” da RTP 1, sobre a nova lei do divórcio.
Para além de ter visto uma tipa completamente histérica (com um ar de tia insuportável) numa clara manifestação de falta de sexo, deu para ficar ainda mais convencido de algo que é uma convicção minha desde há muito tempo: Num divórcio só uma coisa interessa, a parte financeira e patrimonial, e sempre debaixo da conversa que é por causa do bem-estar dos filhos, na maior parte dos casos tal coisa nem lhes passa pela cabeça. Elas podem ser agredidas, insultadas mal tratadas etc que desde que eles paguem, bem de preferência, tudo se resolve sem escândalos e sem problemas de maior, já os Homens podem odiar a mulher, já não conseguirem olhar para elas e nem lhes passar pela cabeça em porem-se em cima delas mas só saem se não tiverem que abrir os cordões à bolsa.
Razão tinha o outro “mais vale rico e com saúde do que pobre e doentinho”

11 comentários:

Canuca disse...

lololol...

Vou ter que concordar contigo (mas só desta vez lol).

Há algum tempo as pessoas mantinham-se casadas por causa dos filhos, hoje em dia, mantêm-se casadas pelo crédito da casa, crédito do carro, as compras no supermercado, os cartões de crédito a abarrotar porque vão passar férias sem ter dinheiro...enfim, dinheirooo, dinheirooo, dinheirooo...já fiquei deprimida lol ;).

Bjooo

Papinha disse...

Concordo em parte ctg... e canuca contigo também... agora se nao me parece certo as pessoas manterem um casamento por dinheiro( coisa que também acontecia antigamente- mais do que hoje...pois as mulheres não tinham, na maioria das vezes, meio de subsistência, muito menos me parece justo manterem-se casamentos por causa das crianças! Acham que uma criança consegue sentir felicidade num casal que não é feliz??
Nem dinheiro, nem filhos devem ser razão para se manter um casamento... é a nossa felicidade que está em causa e a dos nossos filhos...e não é protelando uma situação que isso lhes vai trazer felicidade!!!

vita disse...

É infelizmente é esse o valor que fala mais alto na grande maioria dos casos.

A vida, é injusta a maior parte das vezes, e tudo serve de desculpa para obter o vil metal.;)

Beijo nino

DESIRE disse...

O manter um casamento por sacrifício é um erro, mas fazer dele uma forma de negócio não lhe fica atrás...
Beijos prometidos

Canuca disse...

N acho bem que se tenha que ter desculpa para continuar casado...quando n se está bem, segue-se outro caminho.

O problema é que mesmo no divórcio os miúdos é que acabam por sofrer, porque as pessoas são pouco civilizadas...são-no durante o casamento e depois durante o divórcio nada muda.

Luxúria vs Tentação disse...

Faz-te falta uma visita ao nosso castelo!

beijo nosso

Luxúria


desliga a TV

provocação disse...

Acima de tudo condeno o casal tornar-se dependente um do outro, ou seja, quando é para contrair as dívidas, fazem-no em conjunto, depois para as saldar não deverá ser em conjunto também? A questão é que quando surge o divórcio há sempre um que quer saltar fora das responsabilidades. Quanto a mim a solução passava muito por reeducar a sociedade a lidar com o dinheiro para que na altura da união e da desunião nada mais prevalecesse que não o mundo dos afectos.

Karlight disse...

Ora lá está, concordo com a Provocação...
Como casal que decidem juntar os trapinhos, é tudo muito bonito e cor de rosa e o "viveram felizes para sempre". Parou!! Que tal começarem por pensar que é temporário... se durar para sempre melhor. Que idéia a nossa(mulheres) que o homem tem de ser só nosso? Que o homem é nosso e temos de andar com ele debaixo da asa, não o vá alguém roubar. Irrita-me estranhamente este pensamento de possessão e ciume feminino.

Grandes parte das separações, ou casamentos de fachada, acontecem por causa do dinheiro! Pois então, aprender a lidar com os trocos,e não viver na ilusão do "para sempre" é a melhor maneira, de evitar grandes dores de cabeça futuras. A amizade sim é o que tem de haver em comum.

Por isso Separada de fresco, estás mais do que certo na tua escolha de amizade colorida... Nunca há falhas, pois não há promessas.

bjs

Kronos disse...

tb vi essa miseria de debate... é mt triste ver as relações (ou o fim delas) pela parte do €....

Quanto á tal tiazona que la estava histerica, tb me pareceu que tinha "falta de peso em cima"... mal amadas e mal fodidas dão sp em histericas...

Teresa Santos disse...

É realmente muito triste... Fazem-se verdadeiras "novelas" por causa de pensões, partilhas...

Na minha opinião (e experiência) não há nada melhor do que uma mulher ser independente, poder simplesmente virar as costas à infelicidade, e começar tudo de novo...

Quanto ao Blogue... gostei! Talvez demasiado frontal?... com palavras muito "pesadas"?... O facto é que todos as conhcemos e fazem parte da nossa vida. E quem não gostar não volta.

Boa sorte na busca por essa "mulher de sonho"... (gostei o post incial!)

Beijinhos
T

Valquíria Vasconcelos disse...

Bonito, bonito é comprar as coisinhas todas com as devidas facturinhas em nome da mãe...

Sempre se pode pegar naquilo que é da nossa mãezinha e que fomos nós que pagamos totalmente, c@gar nos cacarecos que foram oferecidos, deixar as merdas que fazem recordar momentos, agora, hipócritas, deixar as coisas arrumadinhas e ir para o sótão contente da vida pela paz que se encontra, com pouco dinheiro.

Ah... e por via das dúvidas o sótão é da mãe também. Não vá o diabo tecêlas.

Besos

Adenda: hoje em dia, juntamente com as Certidões de nascimento assinam-se contratos de partilha conjunta das crianças. Não podem andar, semanalmente a mudar de uma barraca para um palácio, certo?!